Setembro 2018 archive

O Mistério do Ataúde Grego, por Ellery Queen

Beja Santos: Dois primos nova-iorquinos, com experiência em publicidade e leitores ávidos das histórias de Sherlock Holmes, lançaram-se desde 1929 na literatura de crime e mistério, criaram um detetive bem original, Ellery Queen, ele próprio escritor de romances policiais, formado em Harvard e filho de inspetor de polícia, de tal modo engenhoso, dedutivo e subtil na …

Continue reading

A solidão faz mal à saúde

Beja Santos: A Biblioteca de Literacia em Saúde, do Ministério da Saúde, publicou recentemente um documento altamente esclarecedor porque devemos combater o isolamento social: (Não) Estamos Sós, material que o leitor pode encontrar na íntegra em https://biblioteca.min-saude.pt/livro/data/SNS_IsolamentoSocial/livro_solidao.pdf Para dar persuasão e vigor às mensagens do que podemos e devemos fazer para tirar as pessoas da solidão …

Continue reading

“O Filho da Rainha Gorda”, por Maria Filomena Mónica

  Beja Santos : Editado em 2004, “este livro nasceu da vontade de oferecer um presente de Natal aos meus netos”, escreve a autora. Chegou a hora da reedição, felizmente, é livro de tratamento esmerado, uma quase história de encantar, não houvesse para ali uma guerra civil, uma morte no parto, um casal real sob a …

Continue reading

Sérgio Matos Ferreira volta à Guiné, no fim do Império

Beja Santos: A obra mais recente de Sérgio Matos Ferreira, “Oito Viagens, Uma Voz”, Edições Vieira da Silva, Lisboa, 2018, marca o regresso deste autor à Guiné e, tanto quanto parece, é depoimento autobiográfico, conta a história de um furriel-artilheiro em Mansabá, já houve o 25 de abril, o furriel acompanha uma comitiva que se interna …

Continue reading

Todos os Poemas São de Amor, por Manuel Alegre

 Beja Santos: Antologia e nove poemas inéditos constituem a substância da obra mais recente de Manuel Alegre, Publicações Dom Quixote, 2018, onde ficamos com indicações elaboradas pelo próprio do que ele aquilata sobre o seu lirismo que vai desde a Praça da Canção (1965) até aos títulos mais recentes. Tudo está praticamente dito sobre a obra …

Continue reading

Um detetive amador e original que fez época: Albert Campion

Beja Santos: Margery Allingham foi uma grande senhora da literatura de crime e mistério, nomeadamente nas décadas de 1930, 1940 e 1950. Estrada para a Morte, agora dada à estampa pela Porto Editora, é o primeiro romance em que aparece Albert Campion, um detetive a vários títulos original pelos seus processos de investigação. Esta escritora londrina …

Continue reading

O ABC do Testamento Vital

Beja Santos: Em 2016, a DECO PROTESTE deu à estampa um guia intitulado “Direitos na Saúde”, propiciando ao leitor o conhecimento dos direitos que a lei contempla na área da Saúde e contextualizando os cuidados de saúde, tais como a vacinação, a doação de órgãos, o pagamento de cuidados no setor privado ou o Testamento Vital. …

Continue reading

Furriel Não é Nome de Pai

Beja Santos: Furriel Não é Nome de Pai, os filhos que os militares portugueses deixaram na guerra colonial, por Catarina Gomes, Edições tinta-da-china, 2018, é uma notável reportagem que seguramente irá incomodar muita gente, questionando todo e qualquer leitor de que há uma responsabilidade de Portugal em legitimar filhos de portugueses, um legado do colonialismo que …

Continue reading

Postais de viagens de Amílcar Cabral, cânticos de amor e saudade

Beja Santos: “Itinerários de Amílcar Cabral”, organização de Ana Maria Cabral, Filinto Elísio e Márcia Souto, Rosa de Porcelana Editora, 2018, é uma reunião de postais de Amílcar Cabral endereçados à sua segunda mulher, Ana Maria Sá Cabral e aos filhos, da Escandinávia à África Ocidental, de Marrocos ao Médio Oriente, ficou-nos o legado de bilhetes-postais …

Continue reading

Impérios ao Sol, A Luta pelo Domínio de África, por Lawrence James

Beja Santos: “Impérios ao Sol, a luta pelo domínio de África”, por Lawrence James, Edições Saída de Emergência, 2018, põe em dilatado ecrã as ambiguidades deste conceito de progresso e de missão civilizadora e de ocupação das potências coloniais, tal como se forjou a partir de 1830, aproximadamente; desvela uma luta sem quartel para tomar posse …

Continue reading