Para reduzir o risco de desenvolver demência

Beja Santos: Alzheimer Portugal (geral@alzheimerportugal.org, telefone 213610460) tem desenvolvido ao longo dos seus trinta anos, que agora se comemoram, um intenso esforço para sensibilização de como devemos cuidar da nossa mente e estarmos atentos aos sinais de demência. Num desses documentos de distribuição gratuita, considera-se haver dez sinais de alerta de demência: esquecimento de informações recentes, como datas importantes ou eventos; repetir a mesma pergunta várias vezes; perder capacidades de desenvolver e seguir um plano de trabalho; dificuldades em executar diversas tarefas diárias, a ponto de uma pessoa com demência poder ser incapaz de preparar qualquer parte de uma refeição; perda de noção de tempo e desorientação; dificuldades em perceber imagens visuais e relações espaciais; problemas de linguagem, dificuldades em acompanhar ou inserir-se numa conversa; trocar o lugar das coisas; alterações na capacidade de julgamento ou tomada de decisão; abandono do trabalho e da vida de relação; alterações de humor e de personalidade.

Esta associação de doentes crónicos também nos alerta para o que é a demência: a palavra é utilizada para descrever um grupo alargado de sintomas, que podem incluir a perda de memória, dificuldades de raciocínio de resolução de problemas, assim como alterações da linguagem, do humor ou do comportamento. A demência é causada por doenças do cérebro. A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência, constituindo cerca de 60 a 70% de todos os casos. A Associação em sido incansável no seu esforço de literacia em saúde junto de toda a opinião pública, divulgando mesmo os conhecimentos mais recentes sobre a doença de Alzheimer. E também noutra brochura gratuita nos dá sete dicas para reduzir o risco de desenvolver demência, a saber: manter o cérebro ativo, pois assim fortalecem-se as ligações entre as células cerebrais, é uma excelente contribuição para uma mente saudável; um regime alimentar equilibrado, de acordo com os princípios da Roda dos Alimentos, respeitando as proporções do que devemos ingerir em hidratos de carbono, hortofrutícolas, proteínas, gorduras, laticínios, vitaminas e sais minerais, é uma boa maneira de promover um cérebro saudável; não descurar a visita ao médico de família, fazer check-ups com regularidade, controlar a tensão arterial, o colesterol, os níveis de açúcar no sangue e o peso; exercitar o corpo, o mesmo é dizer andar, caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar, tudo faz bem desde que se use a prudência, deve-se colocar o corpo em movimento e fazer o coração bater com mais força; manter uma vida de relação, com a família e com os amigos, participar na vida associativa, em academias seniores, como voluntário, visitar quem precisa da sua companhia, e muito mais o que lhe dite a sua generosidade e sociabilidade; não desprezar os estilos de vida saudáveis: não fumar, beber com moderação, descansar e proteger a cabeça para reduzir os riscos de demência. Se assim proceder, no mínimo está a dar o seu melhor para reduzir qualquer forma de demência, não há melhor aposta para uma vida com qualidade, não acha?

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.